sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Recordar é Viver. [13]

Depois de muito tempo volto a escrever aqui no Blog, como vocês sabem tenho me dedicado mais ao Youtube, mas isso não significa que os textos do blog vão acabar, segurei postando os resumos das corridas, o recordar e viver e mais alguma coisa que vier na minha cabeça. E o blog volta contando a temporada de 2008 da Force Índia que é a equipe que eu torço, um resumo do que aconteceu na temporada de estréia da equipe de Vijay Mallya.
Apresentação do 1° carro da Force Índia.
As origens da Force Índia vem resultante de outras três equipes: Jordan, Midland e Spyker, a Jordan enfrentava problemas financeiros e foi vendida para o grupo Midland, porém a equipe andava sempre no fim do pelotão e em sua única temporada nunca pontuou, até que o dono da equipe vendeu a equipe para a Spyder Cars, que também na sua única temporada somou 1 ponto com Sutil no GP do Japão, mas talvez o grande feito da equipe tenha sido com Markus Winkelhock que chegou a liderar o GP da Europa, porém ao fim da temporada a equipe foi vendida também por passar por problemas financeiros.

A Spyker foi comprada por 88.000.00 Euros pelo empresário indiano Vijay Mallya e foi rebatizada de Force Índia Formula One Team, da Spyker se mantiveram para a temporada 2008 o chefe de equipe Colin Kolles, o chefe de tecnologia Mike Gascoyne e o piloto Adrian Sutil.

O carro da Force Índia nada mais era que uma versão do Spyker F8-VII B com motor Ferrari, o carro era chamado de Force Índia VJM01. A meta da equipe na temporada era superar a Super Aguri, porém a equipe nipônica nem chegou a terminar a temporada de 2008, abandonando o campeonato após 4 etapas devido a problemas financeiros.
Adrian Sutil foi o primeiro piloto a testar e ser confirmado como piloto titular, e Giancarlo Fisichella que estava na Renault foi escolhido como segundo piloto, enquanto Vitantonio Liuzzi foi escolhido o piloto reserva.  

Na Austrália um começo ruim com os dois pilotos abandonado logo no começo da corrida, depois de 4 etapas poderia vir a consagração da equipe, em Mônaco Sutil estava em quarto, até que nas últimas voltas Sutil foi tocado por Kimi Raikkonen e precisar abandonar, mas mesmo se Sutil tivesse acabado em quarto ele seria punido por ter feito ultrapassagens sob bandeira amarela.



Mas com as atualizações o carro foi evoluindo durante a temporada, mesmo com a saída da Super Aguri a Force Índia normalmente sempre largava na última fila.

De volta as corridas, o grande destaque vinha sendo Fisichella que conseguiu em  Monza a melhor posição de largada da temporada um décimo-segundo à frente de pilotos como Raikkonen e Hamilton, mas acabou sofrendo um acidente e abandonou a corrida,  

Em Cingapura Fisichella chegou a andar em segundo, mas um Safety-Car antes da sua parada nos boxes tirou a chances de pontuar, no Brasil o Físico andou em quinto mas problemas na transmissão fez ele acabar em décimo-oitavo, duas voltas atrás de Felipe Massa que ganhou a corrida.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário