sábado, 31 de janeiro de 2015

Recordar é Viver. [14]




Mais uma vez aqui no Blog faço um post falando sobre Colin McRae, dessa vez falaremos sobre a primeira e única experiência do campeão do WRC guiando um F1.

Se tratava de um teste realizado em 1996 em Silverstone pela British American Tobacco que patrocinava a Jordan na Fórmula 1 e a Subaru no WRC, nesse teste estavam McRae e Martin Brundle.

O teste começou com os pilotos andando num Peugeot 406 com Brundle dirigindo, com McRae como passageiro e dando explicações do circuito, depois foi a vez de McRae assumir o seu Subaru 555 e sair driftando por Silverstone, mas na sequência que veio o grande momento com McRae testando a Jordan pelo tradicional circuito Britânico.  

Veja o vídeo dos testes.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Kobayashi retorna ao Japão para correr na Super Fórmula.

Koba retorna ao Japão após 12 anos.
Kamui Kobayashi retorna ao Japão após 12 anos competindo na Europa, sem a garantia da participação da Caterham na F1 o Nipônico acertou sua ida para a Super Fórmula, um dos principais campeonatos da Ásia.

“Vou correr pela Super Fórmula em 2015, estou feliz por voltar ao Japão após 12 anos competindo na Europa. Eu gostaria de dar um grande espetáculo nas pistas, todas as corridas vão ser no Japão, então venha ao Japão e corra comigo.” Falou Kobayashi.

Koba irá correr pela Team Le Mans e terá como companheiro o também Japonês Ryo 
Hirakawa.

Em sua passagem pela Fórmula 1 Kobayashi disputou duas corridas pela Toyota (2009), três temporadas pela Sauber (2010-2012)  e uma pela Caterham (2014), seu melhor resultado foi um terceiro lugar em 2012 no GP de Suzuka.  

Em 2013 quando ficou fora do F1 correu no WEC pela AF Corse com uma Ferrari 458 na classe GTE-Pro, dividindo o carro com Toni Villander, o japonês acabou o campeonato na 7° posição. 

Opinião: Brasilia fora da Indy.

domingo, 25 de janeiro de 2015

24 Horas de Daytona. [Hora 24]


E na hora final o pega da corrida fica entre Dixon e Taylor, com 39 minutos pro fim Taylor fez sua última parada, só reabastecimento, enquanto Dixon ficou na pista por mais uma volta, na parada o pessoal da Ganassi fez a mesma estratégia da WTR e só reabasteceu.

Na volta do carro da Ganassi a vantagem era de 4.6, tudo porque na primeira parada da última hora a equipe botou mais combustível, e na última parada foi só completar, enquanto os da WTR tiveram que ficar mais tempo reabastecendo.

Colin Braun que liderava na PC acabou rodando, mas conseguiu voltar pra pista, porém poucas curvas depois Braun acabou batendo forte e o carro pegou fogo, liderança da classe foi para Kimber-Smith, assim a bandeira amarela foi acionada faltando 18 minutos.

A WTR fez uma troca de piloto faltando dez minutos pro fim, Ricky entrou no lugar do Jordan, pelo que parece a troca foi porque o Ricky não teria cumprido o tempo mínimo de pilotagem.

E a relargada aconteceu com 7 minutos com Dixon já abrindo vantagem para Bourdais, e na GTLM Werner brigava contra García pela liderança, mas ficou nisso.

Kanaan, Larson, McMurray e Larson vencem na P
Kimber-Smith, Palmer, Novich e Guash vencem na PC
Magnussen, García e Briscoe vencem na GTLM
Wittmer, Farnbacher, Goossens, Keating e Carter vencem na GTD

24 Horas de Daytona [Hora 23]

Adicionar legenda
E o carro 01 foi recolhido para a garagem com uma folha na engrenagem, o carro voltou mas muito atrasado, porém na volta seguinte o carro voltou novamente para os boxes.

Sem contar que o 01 também foi punido por excesso de pessoas na volta do carro.

Enquanto isso o 25 do Brasileiro Augusto Farfus teve problemas na troca de pneus, na volta da pista a BMW ficou 27 segundos atrás do Corvette de García.

Jordan Taylor fez sua parada, Dixon ficou mais duas voltas na pista e foi fazer sua parada, com Dixon voltando na liderança. 

24 Horas de Daytona. [Hora 22]

Angelelli segue na liderança da P.
Karan conseguiu ganhar a segunda posição em cima de Fittipaldi, o piloto da Ganassi conseguiu a ultrapassagem na chicane.

Na rodada de pit-stops Fittipaldi ainda foi superado pro Dixon, menos mal pra ele é que pouco tempo depois o 01 foi novamente para os boxes com algum problema e acabou voltando três voltas atrás.

Na GTLM a BMW de Farfus lidera, nesse momento é dirigida por Werner.

24 Horas de Daytona. [Hora 21]

Carro da WTR ainda segue na liderança com Angelelli.
Tivemos briga pela liderança da GTD com Kuno Wittmer levando a melhor sobre Van Gisbergen

Depois mais uma rodada de pit-stops da classe P, depois das paradas Angelelli seguia líder, Fittipaldi em segundo e Karan agora em terceiro.

Mais uma bandeira amarela dessa vez o 009 da TRG ficou parado no meio da pista, mais uma vez o Safety-Car aparece na pista.

A relargada aconteceu com 3:06 e Fittipaldi colou em Angelelli, a briga na GTLM também era boa, Farfus conseguiu recuperar a volta perdida e já na relargada estava brigando pela liderança contra os dois Corvette, e Milner do Corvette 4 acabou tocando num DP e teve a frente danificada, precisando ir para os boxes fazer os reparos.   

24 Horas de Daytona. [Hora 20]

Carro da WTR volta à liderança.
A relargada aconteceu com 4:51 e pelo que li com Taylor na liderança, Barbosa recuperou o primeiro posto logo em seguida.

No pit-stop Fittipaldi e Taylor chegaram a se encostar, nada de mais grave, o Brasileiro na parada conseguiu voltar ainda na liderança, enquanto o carro da WTR ainda foi superado pelo 02 da Ganassi.

Mas do nada aparece Taylor na primeira posição (Ou eu tô cego ou a IMSA que não mostrou) já com 12 segundos de vantagem para Fittipaldi

Na briga pela terceira posição os dois carros da Ganassi quase se encontram, Karan não conseguiu fazer a chicane e teve que parar na área de escape pra depois voltar para a corrida, melhor para Larson que conseguiu uma vantagem.

24 Horas de Daytona. [Hora 19]

Liderança é dos atuais campeões da TUSC.
Bruno Spengler que liderava na GTLM teve vários pequenos danos, o carro precisou ir para os boxes fazer reparos, voltando na segunda posição, mas já uma volta atrás de Briscoe.

Taylor seguia sua caça atrás de Barbosa, mas sempre era atrapalhado pelo tráfego, porém logo depois já tirava a diferença e colava de novo no 5.

Nos boxes param junto Barbosa, Taylor e Kanaan, Taylor ainda conseguiu voltar em segundo, mas já bem atrás de Barbosa.

O Porsche da Magnus ocasionou mais uma entrada de Safety-Car na pista (Lá vou eu pra outro cochilo).

24 Horas de Daytona. [Hora 18]

OBS: EU DORMI DURANTE A BANDEIRA AMARELA, ENTÃO O RESUMO VAI SER SÓ DOS 34 MINUTOS QUE EU VI.
OBS2: E NA PRÓXIMA BANDEIRA AMARELA VOU DORMIR DE NOVO.

Na relargada Kanaan conseguiu roubar a segunda posição de Hand e logo partiu pra cima de Ricky Taylor, o Brasileiro até chegou a por de lado mas não conseguiu a ultrapassagem.

Haase teve um problema com seu Audi R8, após Rast bater o carro mais cedo o capo do carro subiu no meio da corrida, assim prejudicando a visão de Haase que precisou ir para os boxes fazer reparos.

Problemas para o Porsche da Falken que estava na terceira posição da GTLM, e o outro Porsche teve o prazer de trazer mais uma bandeira amarela na corrida.

24 Horas de Daytona. [Hora 17]

Kanaan reassumiu a liderança.
McMurray assume a liderança da corrida, enquanto Ricky Taylor cai para terceiro, mas aí o 02 faz a sua parada e cai para terceiro, Kanaan assume o carro.


Pela primeira posição Taylor tenta pressionar Hand, mas não consegue ultrapassar os dois carros entram junto nos boxe, mas a ordem permanece a mesma, mas Kanaan tinha parado primeiro e assumiu a liderança da corrida.    

24 Horas de Daytona. [Hora 16]

Corvette da WTR reassume a liderança na Flórida. 
Na GTLM García assumiu o Corvette 3, Werner seguia na BMW, os dois foram pra os boxes juntos, mas o Corvette ainda voltou na frente.

Mais uma bandeira amarela, agora causada pelo Porsche 73 de Kevin Estre, que ficou parado na pista.

A relargada aconteceu com 8:21, na liderança agora Angelli, que ganhou a liderança nas paradas nos boxes, na estratégia quem se deu bem também foi a RLL que pulou pra liderança na GYLM com Henzler em segundo, o único Porsche da categoria com chances de poder brigar por vitória.    

24 Horas de Daytona. [Hora 15]

Dixon ainda lidera na P.
No início da décima quinta hora mais uma bandeira amarela, novamente com o carro da Starworks, mas desta vez foi com Brendon Hartley, problemas no alternador.

A bandeira verde foi com 9:34 e com Dixon se mantendo na liderança, na GTD Andrea Bertolini que corre na Ferrari Brasileira ganhou a segunda posição de Van Gisbergen.

Dixon tinha uma vantagem tranquila para Angelelli, que era muito pressionado por Karan, mas o Italiano conseguiu abrir vantagem novamente no tráfego.   

Na GTLM começa a pintar uma briga pela liderança entre Magnussen e Werner.

24 Horas de Daytona. [Hora 14]

Dixon segue na liderança. 
A décima quarta hora começa quente com Farfus pressionando o Corvette de Magnussen na briga pela liderança e na P Jordan Taylor à caça de Dixon.

A briga de Dixon e Taylor foi até a entrada dos boxes quando os dois quase se tocaram, na parada só reabastecimento para os dois, e quem levou a melhor foi o carro da WRT que voltou à frente com Angelelli.

Porém Dixon recuperou a liderança mas seguia sendo pressionado por Angelelli, até que o piloto da Ganassi conseguiu se aproveitar do tráfego e ganhar um pouco de folga.

Enquanto na GTLM Augusto Farfus assumiu a liderança (E a IMSA não mostrou) se não me engano a primeira vez na corrida que a BMW lidera. 

24 Horas de Daytona. [Hora 13]

Dixon tem liderança pressionada por Jordan Taylor.
E com 16 minutos tivemos mais uma bandeira amarela, desta vez com o 1 de Heinemeier Hansson que ocupava a quinta ficou parado na pista, mas consegui voltar, na sétima posição.

Com a longa bandeira amarela alguns carros foram para os boxes fazer alguns concertos, como o Porsche 17 da Falken e o 24 da BMW RLL.

A relargada aconteceu com 11:28 e com Dixon superando Jordan Taylor e ganhando a primeira posição, Pew também ameaçou, mas logo Jordan conseguiu se distanciar, mas não deu uma volta e já tínhamos outra bandeira amarela, novamente com Heinemeier Hansson, no meio da confusão ainda sobrou pra Gavin que teve um pneu furado.

Nova relargada com 11:16 e Dixon conseguiu manter a primeira posição, mas péssimas notícias para a Michael Shank, John Pew acabou indo para a barreira de pneus, assim o carro precisou ir para os boxes fazer reparos.

Pela primeira posição Jordan Taylor pressiona muito Dixon, em alguns momentos chegou até por de lado, mas o piloto da Ganassi levava a melhor.

sábado, 24 de janeiro de 2015

24 Horas de Daytona. [Hora 12]

Liderança segue com o 10 da WTR.

E essa foi a explicação que recebi do acidente.
E na corrida aconteceu um lance bem confuso, os dois Porsche apareciam com problemas, o 912 com o lado direito danificado e o 911 com o motor fumando e parado, perguntei para um dos pilotos que estão acompanhado a prova e ele me respondeu que eles estavam perto um do outro e acabaram se batendo, pelo que li o 911 foi passar o carro 007 da GTD, acabaram colidindo e levando Bamber que estava no 912 junto.

A relargada aconteceu com 12:27  sem grandes problemas, com o carro de segurança tanto tempo na pista esse foi o principal acontecimento da corrida.   

Jordan Taylor lidera com 3.4 de vantagem para Kyle Larson. 

24 Horas de Daytona. [Hora 11]

Jordan Taylor recuperou a liderança para a WTR.
E mais uma vez briga entre os Corvette, dessa vez era Briscoe contra Pagenaud, enquanto isso nos boxes a Ferrari da Risi que liderava na GTLM sofria com problemas nos boxes, o carro voltou para a pista, mas na volta seguinte voltou para os boxes e foi recolhida para a garagem, a liderança caiu no colo de Briscoe.

Do lado de fora da pista fumava o motor do Porsche 81 de Michael Avenatti, problemas no radiador.

Na liderança da GTD ótima briga entre Blekeemolen e Rast, no primeiro momento o Holandês conseguiu a ultrapassagem em cima do Audi na chicane.

E na estratégia a liderança da P voltou para o carro WTR, enquanto isso na GTLM mais uma briga agora entre Pagenaud e Lieb, com vantagem para o piloto da Corvette.

Já na GTD Rast recuperou a liderança com o Audi R8 pra cima do Viper de Bleekemolen, na GTLM alguns carros foram para os boxes e logo na saída Pagenaud conseguiu superar Henzler, que ainda foi ultrapassado por Bamber. 


E quem ressurgiu na corrida foi o Porsche 912 que ficou parado várias voltas no início da corrida, e foi se recuperando e Bamber ultrapassou Pagenaud assim ganhando a terceira posição.  

24 Horas de Daytona. [Hora 10]

Larson recuperou a liderança para a Ganassi.
A relargada aconteceu com 14:59 e foi tudo tranquilo sem nenhum toque, mas pouco depois aparece a BMW de John Edwards aparece na grama, mas ele consegue levar o carro de volta a pista sem problemas para o carro 24.

O 5 da Action Express voltou para corrida na sétima posição, três voltas atrás do líder.

Quem ressurgiu na corrida foi o carro Michael Shank que em parte da corrida estava na sexta posição uma volta atrás do líder, mas depois do carro de segurança Negri apareceu na segunda posição e já pressionando Ricky Taylor.

Mas pouco depois outra bandeira amarela dessa vez com James French da Performance Tech da classe PC ficou parado na pista.

A relargada não demorou e mais uma vez a relargada foi tranquila, mas na GTLM tivemos briga entre companheiros com Milner levando a melhor sobre García e ganhando a quarta posição, na sequência Milner tratou de ir pra cima de Pilet e ganhou a terceira posição, na sequência Pilet foi superado pelo outro Corvette, caindo para quinto.

Na GTLM a briga pela liderança era intensa com quatro carros andando junto, e na primeira tentativa Kaffer quase tocou em Henzler, mas na outra volta o Alemão conseguiu a liderança ao ultrapassar o Porsche na chicane, Henzler que ainda foi superado por Milner ao ser ultrapassado pelo Corvette no fim do oval.

Na P Kyle Larson superou Negri e ganhou a segunda posição (na hora da ultrapassagem o streming caiu, então nem vi), e Larson foi logo pra cima de Ricky Taylor e conseguiu a ultrapassagem antes de entrar na parte do oval, mas pouco tempo depois Ricky devolveu a ultrapassagem.

Depois dos pit-stops Larson conseguiu voltar a frente de Ricky Taylor.     

24 Horas de Daytona. [Hora 9]

Carro da WTR segue na liderança.
E o troca-troca segue na GTLM Magnussen de novo na liderança com Tandy em segundo, é basicamente a briga mais interessante que se tem na corrida até agora. Mas no pit-stop novamente a ordem se inverteu, nos carros agora estavam Pilet e García.

A briga na GTLM seguia, só que agora entre os dois Corvette com García a frente de Milner, mas essa briga só ficou na ameaça, acontece que Pilet demorou atrás de um retardatário, e García foi pelo outro lado e conseguiu assumir a liderança da GTLM.
Na PC também briga pela liderança entre Popow e Braun, o piloto da CORE conseguiu a ultrapassagem na chicane, Braun passou e logo abriu vantagem.

E problemas para o 5 da Action Express que estava na segunda posição com João Barbosa, o Corvette DP ficou parado na pista de acordo com a equipe no Twitter foi perda de pressão no combustível.

Com o 5 parado na pista o Safety-Car voltou para a pista e várias equipes trataram de ir fazer seus pit-stops, e toda aquela vantagem de mais de 20 segundo que o carro da WTR tinha acabou indo para o espaço.

24 Horas de Daytona. [Hora 8]

Carro da WTR assumiu a liderança durante o Sagety-Car.
A briga seguia entre Magnussen e Beretta agora tendo a companhia de Nick Tandy, a essas alturas Magnussen era novamente o líder da classe.

E a primeira grande panca da corrida até agora Perrodo da AF Corse acabou rodando e Brandon Davis da GTD acabou acertando a Ferrari, ocasionando mais uma bandeira amarela.

A largada aconteceu com 16:33 e com Bourdais na liderança sendo muito pressionado por Ricky Taylor, e mais um PC se envolvendo em confusão na relargada, mas nada de mais sério aconteceu.  

Colin Braun que liderava na PC acabou recebendo um toque e furando o pneu traseiro esquerdo, Alex Popov assumiu a liderança.

A GTLM como sempre dando mais emoção Tandy liderava até ser ultrapassado pelo Corvette de Magnussen na chicane, detalhe é que os carros da GTLM nesse momento da prova estão em nono no geral.

Na briga pela liderança Bourdais acabou errando e sendo ultrapassado pro Taylor, que logo tratou de abrir mais de seis segundos de vantagem para o piloto da Action Express.

De volta a GTLM depois de tanto insistir Tandy consegue ultrapassar Magnussen e assumir a liderança da única classe que está dando uma emoção à corrida. 

24 Horas de Daytona. [Hora 7]

Hand ainda segue na liderança com o 01.
No início da sexta hora, finalmente uma briga pela liderança entre Hand e Kanaan, com o Brasileiro sempre andando próximo e incomodando o companheiro.

Mais um Safety-Car desta vez com Tor Graves (companheiro de Rubinho), acabou rodando e não conseguia mais ligar o carro. A notícia ruim é que durante bandeira amarela o carro de Tony Kanaan teve que ir para os boxes e voltando na sétima posição.

A relargada aconteceu com 17:13 e logo de cara tivemos um enrosco entre um Corvette que bateu em dois PC e que ficaram parados no meio do caminho, mas os dois conseguiram voltar pra corrida e evitar mais uma bandeira amarela.

Na GTLM briga pela liderança com Magnussen levando a malehor pra cima de Beretta, o monegasco acabou travando as rodas e sendo ultrapassado pelo piloto da Chevrolet, mas na volta seguinte no mesmo lugar Beretta devolveu a ultrapassagem e reassumiu a liderança.  

24 Horas de Daytona. [Hora 6]

O 01 da Ganassi ainda segue na liderança.
Na GTLM uma boa briga pela liderança entre o Corvette de Briscoe e a BMW de Werner, porém Werner perdeu muito tempo no tráfego e acabou ficando para trás.

E acreditem se quiser, não aconteceu absolutamente mais nada até que aconteceu uma bandeira amarela faltando 27 minutos para o fim da quinta hora quando o Porsche 44 de Andy Lally teve problemas (Não sei o que aconteceu, eu tinha ido no banheiro, pois é...).

Com a bandeira amarela os pilotos foram para os boxes, Tony Kanaan assumiu o segundo carro da Ganassi, depois da classe P foi a vez da GTLM fazer sua parada.

A relargada aconteceu com 18:11, e Bourdais ultrapassou Kanaan para ganhar a segunda posição, mas duas voltas depois Tony deu o troco e recuperou a segunda posição.     

No fim da sexta hora na GTLM Beretta tomou a terceira posição de Sellers.

24 Horas de Daytona. [Hora 5]

Agora o 01 está nas mãos de Hand.
Caiu à noite em Daytona, e na classe P Fittipaldi assumiu a segunda posição após ultrapassar Max Angelelli, o Brasileiro passou e abriu vantagem pra cima do Italiano, mas 
Angelelli conseguiu se recuperar a reassumiu a segunda posição

Na GTD ótima briga pela segunda posição entre Keen e Haase, com o piloto do Porsche 22 levando a melhor.

De volta a classe P Fittipaldi era muito pressionado por McMurray, e de tanto tentar o piloto da Ganassi conseguiu a ultrapassagem no fim do oval para ganhar a terceira posição.

Pagenaud que liderava na GTLM teve um problema, acabou escapando da pista e perdeu posições para Henzler, Werner e depois ainda para Briscoe.  

24 Horas de Daytona. [Hora 4]

Karan assumiu a liderança após o Safety-Car.
No começo da quartas hora mais um carro de segurança causado pelo Porsche de Jim Michaelian, aquele mesmo que quase estragou a corrida de Bleekemolen poucos minutos atrás.

20 minutos depois a corrida recomeçou com Jordan Taylor liderando a corrida e Jamie McMurray em segundo, quem surpreendeu foi Karan que estava em terceiro, se aproveitou do tráfego e assumiu a liderança da corrida.

Na GYLM grande briga, com os 5 primeiros andando juntos, e com Milner ganhando a segunda posição de Fisichella, várias voltas depois os 5 ainda andavam junto, mas aí que no fim do oval Fisichella acabou rodando sozinho e por muita sorte não tocou na barreira de pneus, o ex-F1 acabou caindo para a sétima posição.

Na GTD finalmente uma briga interessante na liderança entre duas Ferrari o 49 de Rui Águas e o 63 de Lazzaro, por enquanto Águas vai levando a melhor.  

Como de praxe no fim de cada hora os pilotos da classe P sempre entram nos boxes, Karan parou só para reabastecimento. 

24 Horas de Daytona. [Hora 3]

McMurray assumiu o carro no lugar de Dixon.
Bill Auberlen que estava em terceiro na GTLM e brigava pela terceira posição teve um pneu furado ao tocar no Porsche de Henzler.

E talvez até agora a maior surpresa da corrida, o Mazda 07 de Tom Long chegou a liderar a corrida, mas logo foi ultrapassado por Dixon e depois por mais vários carros, mas realmente foi uma surpresa agradável ver o Mazda andar em primeiro.
A alegria da Mazda também durou pouco, assim que Long foi para os boxes o carro aparece com problemas no motor.

Dois carros que nesse começo da prova sempre fizerem alguma confusão o PC 8 da Starworks rodou três vez em 3 horas, e o 009 da TRG rodando duas vezes nessa terceira hora.

E nessa terceira hora começou a troca de pilotos Fittipaldi assumiu o 5, Pew assume o 60, Krohn no 57, Karan no 01 e McMurray no 02. Na GTLM as trocas aconteceram mais no início da terceira hora.

No fim dessa terceira hora a liderança da Risi Competizione que no começo bateu de leve na traseira de um PC e agora é lider na GTLM com grande atuação de Fisichella.

E um susto o carro líder ad GTD o 33 de Bleekemolen, um Porsche tinha ficado parado na pista e ao voltar jogou o carro 33 na grama. 

OBS: Nessa terceira hora a corrida foi meio parada, e a transmissão agora é pelo site da IMSA, eles ficam mais tempo mostrando onboard do que a corrida.
OBS2: A transmissão foca só na classe P e GTLM por isso q aqui nos textos sai poucas informações sobre a PC e GTD. 

24 Horas de Daytona. [Hora 2]

Ainda sem parar carro de Rubinho lidera no geral.
A relargada aconteceu com 22:48 a grande relargada foi de Wolf Henzler que estava em sexto e pulou pra segundo na GTLM , porém depois perdeu duas posições para Magnussen e Tandy, na briga pela liderança Tandy ia ser ultrapassado por Gavin, mas o piloto da Porsche passou reto na chicane e para não ser punido ele teve que parar para não ser punido, assim caindo para sexto.

Outro Safety-Car na pista desta vez com o Deltawing que andava no pelotão na frente teve problemas de cambio e ainda Damien Faulkner rodou sozinho no fim do oval e levou tudo o que tinha pela frente, o Porsche voltou pra corrida mas vazando óleo pela pista.

A relargada aconteceu com 22:22 para o fim da segunda hora e na segunda posição apareceu Joao Barbosa com Negri em terceiro, na GTLM os dois Corvette chegaram a se tocar pior para Magnussen que perdeu uma posição para Henzler, mas pouco depois o piloto da Porsche devolveu a ultrapassagem para voltar para a segunda posição.

Assim como na primeira hora os pilotos foram para os boxes faltando menos de 10 minutos para o fim da segunda hora, pararam Negri, Pruett, Taylor e Barbosa, duas voltas depois foi a vez do líder Dixon parar.

No fim um enrosco entre Papadopoulos que estava em segundo na PC bateu no Porsche 73 de Jim Norman.

24 Horas de Daytona. [Hora 1]

Dixon lidera a primeira hora da prova.
Na largada Dixon ultrapassou Negri e já assumiu a liderança, na classe PC Kimber-Smith sofreu um toque de Stephen Simpson, na terceira volta a GTLM tem novo líder, Bruni ultrapassou o Corvette de Gavin, ainda na GTLM Magnussen ultrapassou Lamy para ganhar a terceira posição.

Na frente Dixon já abria vantagem, enquanto os outros carros da P estavam embolados com os GTD. Enquanto isso Shane Lewis do DP 66 parou na grama, e ao voltar pra pista ficou parado na chicane e levou um toque na traseira da Ferrari de Pierre Kaffer, outra grande briga na GTLM entre os dois Corvette e o Porsche de Nick Tandy, que conseguiu ultrapassar Magnussen e ganhar a terceira posição.

Ainda na GTLM Bruni perdeu algumas posições, enquanto isso Tandy pressionava Gavin na briga pela primeira posição.
Na classe P as paradas nos boxes começaram faltando 19 minutos para o fim da primeira hora, Negri entrou primeiro, na volta seguinte foi a vez de Westbrook, Barbosa, e na outra volta foi a vez do líder Dixon parar, acompanhado por Pla e Pace.

Depois de tudo reorganizado a classe P seguia com Dixon líder, Pruett em segundo e Pla em terceiro.

Na GTLM outra briga entre Corvette e Tandy, que ao tentar assumir a liderança não conseguiu espaço para ultrapassar Gavin e acabou sendo ultrapassado por Magnussen e caindo para quarto.

No fim da primeira hora da corrida a primeira bandeira amarela causada pelo Audi da Flying Lizard dirigida pelo estreante Japonês Satoshi Hoshino. 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Recordar é Viver. [13]

Depois de muito tempo volto a escrever aqui no Blog, como vocês sabem tenho me dedicado mais ao Youtube, mas isso não significa que os textos do blog vão acabar, segurei postando os resumos das corridas, o recordar e viver e mais alguma coisa que vier na minha cabeça. E o blog volta contando a temporada de 2008 da Force Índia que é a equipe que eu torço, um resumo do que aconteceu na temporada de estréia da equipe de Vijay Mallya.
Apresentação do 1° carro da Force Índia.
As origens da Force Índia vem resultante de outras três equipes: Jordan, Midland e Spyker, a Jordan enfrentava problemas financeiros e foi vendida para o grupo Midland, porém a equipe andava sempre no fim do pelotão e em sua única temporada nunca pontuou, até que o dono da equipe vendeu a equipe para a Spyder Cars, que também na sua única temporada somou 1 ponto com Sutil no GP do Japão, mas talvez o grande feito da equipe tenha sido com Markus Winkelhock que chegou a liderar o GP da Europa, porém ao fim da temporada a equipe foi vendida também por passar por problemas financeiros.

A Spyker foi comprada por 88.000.00 Euros pelo empresário indiano Vijay Mallya e foi rebatizada de Force Índia Formula One Team, da Spyker se mantiveram para a temporada 2008 o chefe de equipe Colin Kolles, o chefe de tecnologia Mike Gascoyne e o piloto Adrian Sutil.

O carro da Force Índia nada mais era que uma versão do Spyker F8-VII B com motor Ferrari, o carro era chamado de Force Índia VJM01. A meta da equipe na temporada era superar a Super Aguri, porém a equipe nipônica nem chegou a terminar a temporada de 2008, abandonando o campeonato após 4 etapas devido a problemas financeiros.
Adrian Sutil foi o primeiro piloto a testar e ser confirmado como piloto titular, e Giancarlo Fisichella que estava na Renault foi escolhido como segundo piloto, enquanto Vitantonio Liuzzi foi escolhido o piloto reserva.  

Na Austrália um começo ruim com os dois pilotos abandonado logo no começo da corrida, depois de 4 etapas poderia vir a consagração da equipe, em Mônaco Sutil estava em quarto, até que nas últimas voltas Sutil foi tocado por Kimi Raikkonen e precisar abandonar, mas mesmo se Sutil tivesse acabado em quarto ele seria punido por ter feito ultrapassagens sob bandeira amarela.



Mas com as atualizações o carro foi evoluindo durante a temporada, mesmo com a saída da Super Aguri a Force Índia normalmente sempre largava na última fila.

De volta as corridas, o grande destaque vinha sendo Fisichella que conseguiu em  Monza a melhor posição de largada da temporada um décimo-segundo à frente de pilotos como Raikkonen e Hamilton, mas acabou sofrendo um acidente e abandonou a corrida,  

Em Cingapura Fisichella chegou a andar em segundo, mas um Safety-Car antes da sua parada nos boxes tirou a chances de pontuar, no Brasil o Físico andou em quinto mas problemas na transmissão fez ele acabar em décimo-oitavo, duas voltas atrás de Felipe Massa que ganhou a corrida.  

A história de Pikes Peak.

Opinião: Sauber no fundo do poço em 2015?

sábado, 10 de janeiro de 2015

Em corrida maluca Da Costa vence em Buenos Aires.

Pilotos comemoram no pódio em Bueno Aires.
“Cara que Loucura” essa é a frase que se pode resumir o e-Prix de Buenos Aires, a quarta etapa da Fórmula E. Aconteceu de tudo na etapa Argentina, quebra de suspensão dos dois lideres, o terceiro líder sendo punido, 3 voltas finais frenéticas, onde do nada aparecem Prost e Nelsinho cruzando a linha de chegada em segundo e terceiro. Confira com foi o louco e-Prix de Buenos Aires.

Na largada o único que arriscou mais foi Heidfeld que tocou em Alguersuari e ganhou a segunda posição e Buemi respirou mais um pouco na primeira posição. Cerruti teve problemas e logo foi para os boxes.

Quem conseguiu grande manobra foi Lucas di Grassi que retardou a freada e ultrapassou Sam Bird, ganhando a quarta posição. Lá atrás também grandes brigas com Bruno Senna levando a melhor sobre Trulli e Andretti, o Brasileiro ainda levou um toque e danificou uma parte da asa traseira.

Heidfeld tirou a desvantagem que tinha sobre Buemi e já começou a pressionar o Suíço na volta 6. Di Grassi conseguiu ultrapassar Alguersuari na volta 7 e já começou a chegar nos líderes.

Na volta 15 Di Grassi assumiu a segunda posição, ultrapassando Heidfeld no mesmo ponto em que ultrapassou Alguersuari, ao ser ultrapassado Heidfeld errou a curva e foi superado pela dupla da Virgin, Da Costa tentou mas o Alemão se segurou.

Chadhok acabou batendo na volta 16 e causou a entrada do carro de segurança, vários pilotos foram para a troca de carro Buemi e Di Grassi permaneceram na pista por mais uma volta. Com a bandeira amarela a prova ficou confusa com Ho-Ping Tung e Senna parado nos boxes e na pista todos estavam embolados com Andretti a frente do carro de segurança.

Com 7 voltas de Safety-Car a corrida seguia confusa e com todos os carros embolados atrás do carro de segurança.
E depois de tudo arrumado a largada aconteceu na volta 23 e logo de cara o líder Buemi atacou a zebra e quebrou a suspensão, Di Grassi assumiu a liderança e era atacado por Heidfeld.

Mas três voltas depois do ocorrido de Buemi foi a vez de Di Grassi ter a suspensão quebrada, no mesmo ponto do Suíço, Heidfeld assume a liderança. Bird que passou Da Costa e ganhou a terceira posição, porém o piloto da Virgin foi punido. A sorte parecia estar do lado de Heidfeld.

Na briga pela terceira posição dois ex-Red Bull, Vergne e Alguersuari, o Francês atacou a qualquer custo com os dois se tocando e reclamando, mas no fim Vergne levou a melhor.

Até que a sorte de Heidfeld foi por água abaixo, o piloto foi punido por exceder o limite de velocidade no boxes, e vitória no colo de Antônio Felix da Costa.

Mas ainda sobraram mais confusões durante a corrida Abt e Alguersuari se tocaram, resultando no abandono do Alemão, Prost passou Vergne que acabou errando na curva e sendo ultrapassado por Piquet que o meio do caminho conseguiu ultrapassar Alguersuari e Bruno Senna novamente se recuperando e acabando em quinto.


Com a vitória de Da Costa esse é o quarto vencedor diferente em quatro corridas, agora o Português soma 29 pontos e ocupa a sexta posição.

A próxima etapa da F-E será no dia 12 de Março em Miami.

Veja o resultado da corrida Aqui.